30 de mai de 2015

Santíssima Trindade - Domingo 31/05/2015

Mt 28,16-20

Naquele tempo, 16os onze discípulos foram para a Galileia, ao monte que Jesus lhes tinha indicado.
17Quando viram Jesus, prostraram-se diante dele. Ainda assim alguns duvidaram.
18Então Jesus aproximou-se e falou: “Toda a autoridade me foi dada no céu e sobre a terra. 19Portanto, ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, 20e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei! Eis que eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo”.
Comentário:
Este trecho do Evangelho supõe que Cristo já subiu ao céu e está à direita de Deus Pai. Numa aparição na Galliléia, Jesus transmite seus poderes aos apóstolos, que deverão continuar sua obra elhes garante sua presença. Nessas últimas instruções de Cristo está resumida a missão da Igreja apóstólica. Cristo exerce seu poder sem limites tanto na terra quanto no céu (Jo 17,2; Fl 2,10; Ap 12,10; Mt 7,29) que recebeu do Pai. Seus discípulos exercerão este poder em seu nome pelo Batismo, sua missão é universal, a salvação deve ser oferecida a todas as nações (Mt 8,11; 21,41; 22,8-10; At 1,8; Rm 1,16).
Leituras Relacionadas
Antigo Testamento
Livros Históricos
Livros Sapienciais e Proféticos
Evangelhos
  • Mateus 7, 21-29
  • Mateus 8, 5-13
  • Mateus 21, 33-46
  • Mateus 22, 1-14
  • João 17, 1-11
Cartas
  • Atos dos Apóstolos 1, 6-8
  • Romanos 1, 1-7
  • Filipenses 2, 1-11
  • Apocalipse 12, 7-12

24 de mai de 2015

Solenidade de Pentecostes - Domingo 24/05/2015

Jo 20,19-23

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.
Comentário:
A primeira efusão do Espírito se dá na tarde de Páscoa. O sopro de Jesus simboliza o Espírito , princípio da nova criação (Gn 1,2; Ez 37, 9; e principalmente 1Cor 15, 42-50 em que Cristo deve seu título de segundo Adão ao Espírito que possui em seguida à ressureição: Rm 1,4). Como em Atos 1,8;13,2-4, o dom do Espírito aos apóstolos é sinal de missão. Na força doo Espírito aos apóstolos é sinal de missão. Na força do Espírito serão eles os portadores daquela salvação que Jesus, como Cordeiro (1, 29), realizou na sua paixão e quue se concretiza no perdão dos pecados (Lc 24,47; At 26,28) e no dom do Espírito (At 2,17-18; Rm 5,5).
Leituras Relacionadas
Antigo Testamento
Livros Históricos
  • Gn 1, 1-3
Livros Sapienciais e Proféticos
  • Ezequiel 37, 1-14
Evangelhos
  • Lucas 24, 44-49
Cartas
  • Atos dos Apóstolos 1, 6-8
  • Atos dos Apóstolos 2, 16-21
  • Atos dos Apóstolos 13, 1-5
  • Romanos 1, 1-7
  • Romanos 5, 1-11
  • 1 Coríntios 15, 39-53

8 de mai de 2015

6º Domingo da Páscoa - 10/05/2015

Jo 15,9-17
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 9“Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11Eu vos disse isso, para que minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena.
12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos. 14Vós sois meus amigos, se fizerdes o que vos mando.
15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.
16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que então pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá.
17Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”.
Comentário:
Este trecho do Evangelho fala do mandamento do amor, que só é possível se a pessoa permanecer no amor de Cristo. Ele é a revelação do amor do Pai e, ao mesmo tempo, do amor que une Cristo aos seus (Rm 5, 6-8), que é a fonte da caridade cristã, Deus que nos deu seu Filho para que tivéssemos a vida (Rm 8,31-32; Jo 3,16) e se concretiza em tornar o Filho expiação pelos nossos pecados (Rm 3, 25; 2Cor 5, 21),  O trecho se encerra lembrando o dever de dar frutos (Rm 6, 20-23) que se concretiza no amor mútuo. 
Leituras Relacionadas
Antigo Testamento
Livros Históricos
Livros Sapienciais e Proféticos
Evangelhos
  • João 3, 13-21
  • João 12, 44-50
Cartas
  • Romanos 3, 21-26
  • Romanos 5, 1-11
  • Romanos 6, 20-23
  • Romanos 8, 31-37
  • 2 Coríntios 5, 16-21

6 de mai de 2015

Carta sobre a caridade, humildade e fidelidade à fé católica

Meu bem-amado no Senhor,
Quando desejardes dar alguma resposta, deves por em tua boca, antes de mais nada, a humildade uma vez que sabes muito bem que, por ela, todo o poder do inimigo se reduz a nada. Tu conheces a bondade do teu Mestre, que foi blasfemado, e como Ele se fez humilde e obediente inclusive até a morte. Filho meu, trabalha por ti mesmo para firmar a humildade em tua boca, em teu coração e em teu colo, pois há um mandamento que a exige. Lembra-te de Davi, que vangloriava-se por sua humildade e disse: Porque me humilho, o Senhor me libertou e me abençoou (Sal 29 [30], 8-12). Filho meu, apega-te à humildade e farás com que as virtudes de Deus te acompanhem. E se permanecerdes no estado de humildade, nenhuma paixão, qualquer que seja, poderá dominar-te. Não existe medida para a beleza do homem que é humilde. Não há paixão, qualquer que seja, capaz de dominar o homem humilde; e não há medida para a sua beleza. O homem humilde é um sacrifício a Deus. O coração de Deus e de seus anjos descansam naquele que é humilde. Mais ainda: quando os anjos o glorificam, é porque houve uma razão para ele obter todas as virtudes; porém, aquele que se revestiu da humildade não necessita de nenhuma razão além de se Ter feito humilde.
Filho meu, estas são as virtudes da humildade. Filho meu, conserva a paz, pois está escrito: Aquele que é sábio, nesse momento conservará a paz (Am 5, 13). Mantém a paz até que te questionem. E quando te questionarem, fale usando palavras humildes; comporta-te também de maneira humilde. Não lamentes. Se a pergunta exigir extensa resposta, senta-te. Nunca fales enquanto os outros estiverem usando palavras de desprezo; mas, alegremente, não esqueças que teus pensamentos devem ser estes: não escutai as palavras de desprezo. Prestai tua máxima atenção, porém, à toda palavra valiosa, pois está escrito: "Se tu deixas passar a palavra e não a escuta, te enganas a ti mesmo", Te dei mandamentos desde o princípio; guarda-os desde a juventude. Examina o que diz Paulo; disse: Desde o tempo em que eras um menino, conhecias a Santa Escritura, que tem o poder para te salvar (2Tim 3,15). Aprende toda regra dos preceitos do monge, e faz-te querido em todos os teus trabalhos. Se tu, que sois jovem, vais para o deserto e te estabeleces em um local muito grande para ti e vês que Deus ali está, não deixes esse lugar para ir para outro, porque estais descontente. Deixa que o deserto em que te estabeleceste te seja suficiente, não deixeis que Ele se ofenda, pois está escrito: Não é uma pequena coisa contrária que provocará a ira nos homens.
No deserto em que te estabeleceste mantém esta maneira de agir e não fujas de um lugar para outro. Não te dirija à morada de ninguém para lamentar no que crês, muito menos por causa dos desejos do teu estômago. Não estejas em companhia do homem agitado e problemático, mas assegura-te em continuar com tua vida silenciosa; não estejas também na boca dos teus irmãos. Te suplico, meu amado no Senhor, que deixeis que tua meta principal seja aprender; escutar com atenção (ou obedecer) te dará a paz, pois está escrito: o proveito da instrução não é a prata. Cuida-te para jamais deixar de escutar (ou desobedecer). Que a palavra de Saul não se realize em ti, nem em tua geração, pois Deus é mais facilmente persuadido pela obediência do que pelo sacrifício (cf. 1 Sam 15, 22).
Estas são, então, as regras do ofício do monge: deves comer com os irmãos; não levantes a cabeça enquanto não tiver terminado de comer; come com a roupa que te deixas ver em público; se acontecer de serdes o último a ser servido, não digas: "Traga-me logo, pois aqui está sentado alguém maior que tu"; quando desejares beber da garrafa de água, não deixes que tua garganta cause confusão como um homem comum; quando estiverdes sentado no meio dos irmãos e desejares cuspir, não o faça no meio deles, mas afasta-te a certa distância e então cospe.
Quando estiverdes dormindo em algum lugar com os irmãos, não permitas que pessoa alguma se aproxime a menos de um cotovelo de distância. Se o trabalho for tranqüilo, não durmas sobre a esteira, mas dobra-a pois sois um homem jovem. Não durmas estendido, nem tampouco de costas, para que teus sonhos não te molestem.
Quando estiverdes caminhando com os irmãos, mantém-te sempre a alguma distância deles, pois quando caminhas com um irmão fazes com que teu coração esteja ocioso. Se estiverdes usando sandálias nos pés e o que caminha contigo não as têm, desata-as e caminha como ele..
Faz o trabalho do pregador. Faça-o cuidadosamente enquanto estiverdes em tua habitação. Não comas enquanto o sol estiver brilhando. Não acendas a fogueira para ti apenas, ou te transformarás num homem exibido. Quando for necessário aquecer-se, chama algum homem pobre e miserável que está contigo no deserto, e serás elogiado, ao dizer: "Não posso comer sozinho o meu pão".
Se estiverdes numa montanha ou em um lugar onde há algum irmão doente, visita-o duas vezes ao dia: de manhã, antes de começardes a trabalhar com tuas mãos, e à tarde; pois está escrito, meu amado no Senhor: Estive doente e tu me visitaste (Mt 25, 36. 43). Quando um irmão morre na montanha onde estás, não te sentes na cela onde consegues ouvir a notícia, mas vai sentar-te com ele e chora sobre ele; pois está escrito: Chora pelo homem falecido e caminha com ele até que seja enterrado, pois esta é a última coisa que se pode fazer por seu irmão. Saúda seu corpo com compaixão, dizendo: Lembra-te de mim diante do Senhor.
Filho meu, faz tudo o possível para observar as coisas que escrevi para ti, pois elas são as regras do ofício do monge. Deixa que a morte se aproxime de ti de dia e de noite, pois tu sabes que conheces ela e te dirá: ?Eu nunca a pus em meu coração. Meus pés estão no umbral e viverei até cruzar o umbral da porta?. Filho meu, põe sempre toda a tua mente diante de Deus e não deixes que todos estes pensamentos instáveis te desviem do caminho. Tem sempre em vista os castigos que vêm. Enquanto estiverdes em tua habitação, faz-te semelhante a Deus.
Se um irmão vem até ti, regozija-te com ele. Saúda-o. Prepara água para seus pés. Não esqueça isto. Que ele reze. Ficai sentado. Saúda suas mãos e seus pés. Não o incomodes com perguntas como: de onde vens?; pois está escrito: Desta maneira, alguns, sem saber, têm recebido anjos em sua morada? (Heb 12, 2). Crê naquele que veio a ti da mesma forma como crerias em Deus. Se ele for um homem mais virtuoso que tu, diga-lhe humildemente: "Que teu favor esteja sobre mim", o que equivale a dizer: "Tu és meu mestre". Guarda tua comida e come com ele. E se tiverdes algum compromisso, desmarca-o; pois está escrito: "Filho meu, sempre me traz prazer acompanhar o homem que quer caminhar". Deves regozijar-te com ele e estar feliz. Fazei o máximo que puder para que te bendiga três vezes, para que a bênção do anjo que entrou com ele venha sobre ti.
E como exige a mesma fé da Igreja Católica, não te desvies dela, nem te ponhas fora dela. Cremos em só Deus, Pai todo-poderoso, e em seu Filho único, Jesus Cristo, nosso Senhor, por quem foi feito o universo, e no Espírito Santo, ou seja, [cremos] na Santíssima Trindade, a divindade plena. Ele [Jesus] é Deus, Ele estava com Deus, Ele é a Luz que vem da Luz, Ele é o Senhor que vem do Senhor. Ele foi gerado, não criado. Foi gerado como homem. Ele não é uma criatura, é Deus. Foi gerado pela Santíssima Virgem Maria, a mulher que levou Deus em seu seio. Ele tomou a carne do homem para o nosso bem, [veio] à terra e dela ascendeu. Escolheu pregadores, os Santos Apóstolos, cujas vozes, conforme o que está escrito, têm sido ouvidas em toda a terra (Sal 18 [19],4). Fui crucificado e traspassado com uma lança. Daí veio a nossa salvação, Água e Sangue, isto é, o Batismo e o glorioso Sangue; quem não recebeu o Sangue, não foi batizado.
Faz isto, filho meu. Mantém esta fé e o Deus da paz estará contigo, e te salvará, e te libertará, e estarás em paz pelo resto dos teus dias. A salvação está no Senhor, filho querido, no Senhor. Lembra-te de mim, amado no Senhor, por Jesus, o Cristo, nosso Senhor, a quem pertencem a glória e o poder pelos séculos dos séculos. Amém.
-- Santo Efrém da Síria (306-373 d.C. aprox.)

2 de mai de 2015

5º Domingo da Páscoa - 03/05/2015

Jo 15,1-8
Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: 1“Eu sou a videira verdadeira e meu Pai é o agricultor. 2Todo ramo que em mim não dá fruto ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais frutos ainda. 3Vós já estais limpos por causa da palavra que eu vos falei.
4Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto, se não permanecerdes em mim.
5Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permanece em mim, e eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.
6Quem não permanecer em mim, será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados.
7Se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. 8Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos.
Comentário:
O povo de Deus é apresentado pela imagem da vinha (Is 5,1-7; Jr 2,21; Ez 15, 1-8; Sl 79, 9-19; Mt 20, 1-8; 21,28-41). A insistência da leitura, porém, não está na imagem global do povo, mas sim na comunhão, ou na possibilidade de não-comunhão entre os membros deste mesmo povo. O critério para saber se existe comunhão entre o fiel (ramo) e Cristo (tronco no qua se ligam os ramos) é dado pelos frutos. Sem rodeios, pela observância dos mandamentos e amor fraterno. 
Leituras Relacionadas
Antigo Testamento
Livros Históricos
Livros Sapienciais e Proféticos
  • Salmos 79 (80), 9-19
  • Isaias 5,1-7
  • Isaias 18,1-6
  • Jeremias 2, 19-22
  • Ezequiel 15, 1-8
Evangelhos
  • Mateus 20, 1-16
  • Mateus 21, 28-46
Cartas

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...