11 de dez de 2017

Perguntas sobre Eucaristia - introdução

1. Qual o significado da palavra "Eucaristia"?

Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC), item 1328, chama-se Eucaristia, porque é uma ação de graças a Deus. Provém das palavras gregas "eucharistein" (Lc 22, 19; 1 Cor 11, 24) e "eulogein" (Mt 26, 26; Mc 14, 22) que lembram as bênçãos judaicas que proclamam – sobretudo durante a refeição – as obras de Deus: a criação, a redenção e a santificação.

A Eucaristia  é um sacrifício de louvor em ação de graças pela obra da criação. Neste sacrifício toda a criação, amada por Deus, é apresentada ao Pai, através da morte e ressurreição de Cristo. É um louvor em ação de graças por tudo o que Deus fez de bom, belo e justo, na criação e na humanidade.

A Eucaristia é um sacrifício oferecido por Cristo na cruz, com Cristo presente na hóstia e vinho, que é aceito em memória de Cristo.

* baseado no Catecismo da Igreja Católica (CIC), parágrafos 1328, 1359-61.

2. Por quais outros nomes a Eucaristia é também conhecida?

Utiliza-se vários outros nomes para significar a Eucaristia:

  • Ceia do Senhor, porque se trata da ceia que o Senhor comeu com os discípulos na véspera da sua paixão.
  • Fração do Pão, porque este rito, próprio da refeição dos judeus, foi utilizado por Jesus quando abençoava e distribuía o pão como chefe de família, sobretudo na última ceia. É por este gesto que os discípulos O reconheceram depois da sua ressurreição.
  • Assembleia eucarística, porque a Eucaristia é celebrada em assembleia de fiéis, expressão visível da Igreja.
  • Santo Sacrifício, porque atualiza o único sacrifício de Cristo Salvador e inclui a oferenda da Igreja; ou ainda santo Sacrifício da Missa, Sacrifício de louvor (Heb 13, 15), Sacrifício espiritual, Sacrifício puro e santo, pois completa e ultrapassa todos os sacrifícios da Antiga Aliança.
  • Santa e divina Liturgia, porque toda a liturgia da Igreja é centrada neste sacramento; no mesmo sentido se lhe chama também celebração dos Santos Mistérios. Fala-se igualmente do Santíssimo Sacramento, porque é o sacramento dos sacramentos. E, com este nome, se designam as espécies eucarísticas guardadas no sacrário.
  • Comunhão, pois é por este sacramento que nos unimos a Cristo, o qual nos torna participantes do seu corpo e do seu sangue, para formarmos um só corpo.
  • Santa Missa, porque a liturgia em que se realiza o mistério da salvação termina com o envio dos fiéis («missio»), para que vão cumprir a vontade de Deus na sua vida quotidiana.
* CIC: 1329-1333

3. O que relembramos na Eucaristia?


A Eucaristia é o memorial da Páscoa de Cristo, a atualização e a oferenda sacramental do seu único sacrifício, na liturgia da Igreja que é o seu corpo. No sentido que lhe dá a Sagrada Escritura, o memorial não é somente a lembrança dos acontecimentos do passado, mas a proclamação das maravilhas que Deus fez pelos homens.

Na celebração litúrgica destes acontecimentos, eles se tomam presentes e atuais. É assim que Israel entende a sua libertação do Egipto: sempre que se celebrar a Páscoa, os acontecimentos do Êxodo tornam-se presentes à memória dos crentes, para que conformem com eles a sua vida.

Quando a Igreja celebra a Eucaristia, faz memória da Páscoa de Cristo, e esta torna-se presente: o sacrifício que Cristo ofereceu na cruz uma vez por todas, continua sempre atual: Todas as vezes que no altar se celebra o sacrifício da cruz, no qual "Cristo, nossa Páscoa, foi imolado", realiza-se a obra da nossa redenção.

* CIC 1362-1364

4. Por que a Eucaristia é a fonte de toda vida cristã?

A Eucaristia é fonte e ponto central de toda a vida cristã. Tudo mais que acontece na Igreja, outros sacramentos, todos os ministérios eclesiásticos e obras de apostolado, estão vinculados com a sagrada Eucaristia e a ela se orientam. Com efeito, na santíssima Eucaristia está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, isto é, o próprio Cristo, nossa Páscoa.

Nela se encontra o cume, ao mesmo tempo, da ação pela qual Deus, em Cristo, santifica o mundo, e do culto que no Espírito Santo os homens prestam a Cristo e, por Ele, ao Pai. Pela celebração eucarística, unimo-nos desde já à Liturgia do céu e antecipamos a vida eterna. (1 Cor 15, 18 ).

* CIC 1324-1327

5. Quando a Igreja começou a celebrar a Eucaristia?

Desde o princípio a Igreja foi fiel à ordem do Senhor. Da Igreja de Jerusalém está escrito:
Eram assíduos ao ensino dos Apóstolos, à união fraterna, à fracção do pão e às orações. [...] Todos os dias frequentavam o templo, como se tivessem uma só alma, e partiam o pão em suas casas; tomavam o alimento com alegria e simplicidade de coração (At 2, 42.46).
6. A Igreja sempre celebrou Eucaristia como faz hoje?

 Desde o século II, temos o testemunho de São Justino sobre a forma da celebração eucarística e permaneceram as mesmas até aos nossos dias. Veja o testemunho do santo escrito cerca do ano 155:
No dia que chamam Dia do Sol, realiza-se a reunião num mesmo lugar de todos os que habitam a cidade ou o campo.
Lêem-se as memórias dos Apóstolos e os escritos dos Profetas, tanto quanto o tempo o permite.
Quando o leitor acabou, aquele que preside toma a palavra para incitar e exortar à imitação dessas belas coisas.
Em seguida, levantamo-nos todos juntamente e fazemos orações por nós mesmos [...] e por todos os outros, [...] onde quer que estejam, para que sejamos encontrados justos por nossa vida e ações, e fiéis aos mandamentos, e assim obtenhamos a salvação eterna.
Terminadas as orações, damo-nos um ósculo uns aos outros.
Depois, apresenta-se àquele que preside aos irmãos pão e uma taça de água e vinho misturados.
Ele toma-os e faz subir louvor e glória ao Pai do universo, pelo nome do Filho e do Espírito Santo, e dá graças  longamente, por termos sido julgados dignos destes dons.
Quando ele termina as orações e ações de graças, todo o povo presente aclama:Ámen.[...] Depois de aquele que preside ter feito a ação de graças e de o povo ter respondido, aqueles a que entre nós chamamos diáconos distribuem a todos os que estão presentes pão, vinho e água "eucaristizados" e também os levam aos ausentes.
 Ou seja, a ordem seguida na celebração já era próxima da atual: leituras bíblicas, homília, preces da comunidade, consagração do pão e vinho, e distribuição da Eucaristia.

* CIC 1342, 1345.

* autoria própria, totalmente baseado no Catecismo da Igreja Católica (CIC).

* outras quatro partes estão para ser publicadas.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...