21 de mar de 2015

São Nicolau de Flue, o patrono da Guarda Suiça

Nicolau de Flue nasceu em 1417, era o filho mais velho de ricos agricultores. Sua vida seguia os padrões da época: entrou no exército aos 21 anos, tendo tomado parte em algumas batalhas; excelente soldado, ao longo do tempo foi promovido a oficial, tendo alcançado o posto de capitão. Quando tinha cerca de 30 anos casou com Dorothy Wiss, com quem teve cinco meninos e cinco meninas. Em 1459 foi eleito juiz do cantão (estado) onde residia, tendo servido no posto por nove anos. 

Pintura de São Nicolau de Flue na igreja
paroquial de Sachseln, Suiça
A vida de oração já o atraia bastante mas as ocupações do mundo tomavam seu tempo. Certa vez teve uma visão mística de um lírio que crescia de sua boca e subia aos céus mas que acabou sendo comido por um cavalo. Ele compreendeu representar que as tarefas cotidianas estavam a engolir sua vida espiritual (lírios são associados à pureza). Aos 50 anos, com o consentimento da esposa e filhos, decidiu tornar-se um eremita e dedicar todo seu tempo à oração. 

Segundo registros históricos teria jejuado por 19 anos alimentando-se apenas da Eucaristia. Sua visões continuaram no centro de sua experiência, mas logo adquiriu fama por sua sabedoria ao aconselhar aqueles que lhe procuravam, levando à pessoas de toda Europa a peregrinarem até sua ermida em busca de sua palavras. Neste papel evitou uma guerra civil na Suiça quando o antagonismo entre as diferentes regiões aumentou até o quase confronto. Cartas enviados pelas diferentes governos ainda existem comprovando sua influência na união do país, o mais estável na Europa Central até hoje. 

Uma das visões místicas que teve é da face de Jesus no centro de um círculo, com as pontas de três espadas tocando seus olhos e boca; com outras três espadas irradiando dele para o mundo e completando a simetria. Segundo Nicolau, as seis espadas representam episódios da vida de Cristo: a boca de Deus ao anunciar seu nascimento à Maria; Cristo como testemunha ocular da Criação; a espada de sua queda no Calvário; a traição de Judas; os ouvidos que escutaram os pastores proclamando "Glória a Deus" na noite de Natal; e Cristo como aquele que trará o julgamento ao mundo. 

Santuário em Sachseln
Também sugeriu que todos deveriam carregar consigo seis medalhas com diferentes imagens para sempre lembrar-se dos deveres da caridade cristã:

  • duas muletas, lembrando os doentes
  • cajado, hospedar os peregrinos
  • uma fatia de pão, alimentar os que tem fome
  • correntes, a caridade com os presos
  • roupas, vestir os pobres
  • um caixão, enterrar os falecidos.

Nicolau de Flue faleceu em 21 de Março de 1487 cercado pela sua esposa, filhos e netos. Uma capela foi erigida em sua memória. Foi beatificado em 1669 e canonizado apenas em 1947 pelo Papa Pio XII. Seus restos mortais ainda podem ser venerados no Santuário em Sachseln, Suiça. Ele é o patrono da Suiça e da Guarda Suiça que ainda serve ao Papa. Uma oração sua é citada no Catecismo (226):

Meu Senhor e meu Deus, tira-me tudo o que me afasta de Ti. 
Meu Senhor e meu Deus, dá-me tudo o que me aproxima de Ti.
Meu Senhor e meu Deus, desapega-me de mim mesmo, para que eu me dê todo a Ti

-- autoria própria

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...