27 de abr de 2011

Explicação Catequética do Credo - artigo VII: Jesus Cristo irá julgar os vivos e os mortos

* Artigo VI: creio em Jesus Cristo, que subiu aos céus e está sentado a direita de Deus Pai Todo-Poderoso

28. Considerando que o mundo teve um início, deve também ter um final; e esta última cena deve estar, também, em acordo com a Providência Divina de seu criador. A sociedade humana, sucessivas gerações, propagando-se ao longo dos tempos, não vai encerrar-se antes de um julgamento final ser pronunciado quanto aos pensamentos, palavras e ações de cada homem, dando a cada uma merecida recompensa. Jesus Cristo, o Supremo Juiz, irá descer dos céus para pronunciar seu julgamento sobre as causas de todos homens; isto ocorrerá certamente como foi proclamado pelos anjos no dia de Sua ascenção aos céus. Ele abrirá sua corte, a qual todos os homens que tiverem passado pela terra, em qualquer tempo ou lugar, deverão comparecer, inexorável tribunal do onisciente e todo-poderoso Juiz, para o qual nada está escondido, nele os homens deverão responder todas questões, esclarecer se verdadeiramente acreditam nos dogmas da fé como propostos pela Igreja e verificar se cumpriram os mandamentos. Aqueles que tiverem feito tudo isto serão admitidos na glória do Paraíso; aqueles que tiverem se recusado a acreditar, como os muçulmanos, judeus e gentios, serão colocados no fogo eterno, do qual não há redenção; e os que tiverem confessado a fé, mas agiram como maus cristãos, negligenciaram os Dez Mandamentos, quem assim tiver agido, será condenado por sentença irrevogável a sofrer nas chamas eternas.

29. Antes destas coisas passarem e quando o final do mundo estiver próximo, todos os homens ainda vivos deverão morrer; pois a morte é um débito da natureza que deve ser pago. Todos que nascem, fazem-no na condição de que um dia morrerão, até mesmo Jesus Cristo, o Filho de Deus, não foi exceção a esta lei. É claramente imprudente e tolo imaginar que alguém poderá ter como privilégio um destino diferente. Mas Jesus Cristo não morreu por si mesmo, mas pelo nossos pecados. Ele ressurgiu pelo Seu pdoer, pela Sua ressurreição ratifica nossa esperança de um dia também ressuscitarmos e, assim, tornar a morte mais tolerável para homens bons e piedosos, seus amigos, sendo Ele o nosso exemplo. Então, mesmo que seja certo que no final dos tempos, os santos, perfeitos em todas virtudes, serão encontrados e encontrarão a felicidade que desejaram e mereceram, também eles passaram pela morte. Eles terão provado o gosto da morte, e como o restante da humanidade, serão restaurados à vida, cada um tomando o seu corpo, um corpo transformado para um amelhor condição pelos atributos da bondade divina. Assim os santos entrarão na plenitude das promessas.

30. Quando Jesus Cristo descer dos céus para realizar o último julgamento, todos homens, do primeiro ao último, que morreu imediatamente antes, serão julgados por Ele. Justos e ímpios serão julgados, mas com uma imensa diferença que jamais será alterada por toda eternidade: os justos passarão a alegria eterna, os ímpios à morte e sofrimentos sem fim. Esta é a verdade professada por São Felipe, dizendo: Creio em Jesus Cristo, que irá julgar os vivos e os mortos.

-- Explanação Catequética do Credo para os Habitantes das Ilhas Molucas, por São Francisco Xavier (século XVI)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...