26 de fev de 2014

Santo Alexandre de Alexandria, 26 de Fevereiro

Alexandre foi o 19o. Patriarca de Alexandria. Durante seu governo teve que lidar com algumas controvérsias, em especial sobre a data da Páscoa e a natureza divina de Jesus Cristo. A solução destes problemas é absolutamente central para a Igreja e ainda praticada na forma do Credo Niceno-Constantinopolitano (aquele Creio mais longo) e, obviamente, no calendário litúrgico.

Pouco é conhecido sobre os anos iniciais de presbiterato, exceto que teve que enfrentar as perseguições dos imperadores Galério e Maximiano Daia. Assumiu o patriarcado sucedendo Áquila, em um período que a Igreja já contava com a proteção do Imperador Constantitno, ainda vivo e atuante.

O mais importante problema que enfrentou foi o Arianismo, heresia liderada por Ário, que era padre na igreja mais antiga de Alexandria e também candidato ao cargo de Patriarca. A questão surgiu quando Alexandre declarou a unidade da Santíssima Trindade durante um sermão. Ário contra-argumentou que o Filho de Deus era subordinado a Deus Pai, sendo de uma natureza diferente. O Filho não teria existido desde sempre, mas teria sido criado pelo Pai.

Inicialmente Alexandre convocou duas assembléias de presbíteros de sua região para decidir sobre a controvérsia, mas não puderam chegar a uma conclusão. Ário teve sucesso em convencer dois bispos, de Mareotis e Libia, de suas idéias, além de ordenar novos presbíteros, tornando as chances de um cisma formal bastante reais.

Em 321 Alexandre organizou um Concílio Geral do Patriarcado, no qual ambos puderam defender suas idéias na presença de uma centena de padres e bispos. Este Concílio condenou as idéias de Ário, que preferiu fugir para a Palestina, onde convenceu mais bispos, em especial, Eusébio de Nicomédia, que convocou um Concílio com bispos da Igreja na Síria favoráveis a Ário. 

Finalmente em 325 foi realizado o Concílio Ecumênico de Nicéia, contando com a presença de 318 bispos representando toda Igreja. Cada bispo pode trazer dois padres e três diáconos, totalizando cerca de 1800 pessoas. Foi o primeiro Concílio a ser organizado em que livremente todos puderam comparecer pois as perseguições à Igreja haviam terminado poucos anos antes, em 313. Por larga maioria, cerca de 250 bispos, o Concílio concordou com Alexandre e declarou Cristo consubstancial ao Pai, isto é, tem a mesma substância, e existente desde o princípio dos tempos. O Credo Niceno foi composto como forma resumida de afirmar esta crença. 

O Arianismo foi refutado novamente no Concílio de Constantinopla em 381. Com o tempo desapareceu da Igreja, tendo, de certa forma, ressurgido apenas na Reforma Protestante quando algumas Igrejas optaram por posições não-trinitárias. A mais proeminente, hoje em dia, é a Igreja dos Santos dos Últimos Dias (conhecidos como mórmons). 

Quanto a questão da data da Páscoa, o Concílio decidiu por não seguir estritamente o calendário judaico, preferindo calcular a data de forma que a Páscoa seja celebrada sempre após o equinócio da Primavera. Alguns ajustes foram feitos ao longo do tempo, mas a Páscoa ainda ocorre após o equinócio. 

Alexandre morreu entre 326 e 328, em data incerta, sendo venerado pelas Igrejas Cópta, Católica e Ortodoxa. Pouquíssimos escritos foram preservados, embora sabe-se ter escrito várias cartas e exortações a cerca da Santíssima Trindade. Santo Alexandre de Alexandria é celebrado em 26 de Fevereiro. 

-- Autoria própria

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...